"-... esse sujeito de quem estou falando trabalhava como domador de cavalos (...) parecia ter sido feito por encomenda para domar os potros; mas a verdade é que ele tinha outro ofício: o de 'provocador'. Era provocador de sonhos. Isso é que ele era realmente." Pedro Páramo, Juan Rulfo.

sábado, 16 de abril de 2011

Luiz Molion: resfriamento global, mídia e lavagem cerebral nas escolas


Mesa redonda "Mudanças Climáticas - contra incertezas: pelo debate científico." Departamento de Geografia - USP - Novembro/2010

"A nossa ignorância do que se refere ao calor que sai do interior da Terra e aquece as águas profundas é muito grande. Acho que não existe ninguém no mundo que é capaz de dizer isto: quanto calor sai do interior da Terra que é transferido para os oceanos e depois chega à superfície. Assim como também ninguém tem condição de dizer o quanto de CO2 sai do interior da Terra e entra pelos oceanos alimentando os oceanos(...) os oceanos se aquecem (...) liberando mais CO2."

(...)
"Nos próximos vinte anos nós vamos ver o resfriamento." (...)
"É curioso que quando se fala de fonte de CO2 ninguém fala, por exemplo, da dissolução das rochas carbonatárias. Que é a desmineralização das rochas de carbonato."
(...)
"Nos próximos vinte anos o sol vai estar neste mínimo que ocorre a cada cem anos."
"Espera-se que o campo magnético solar se enfraqueça, pelo menos, 50%... (...) se isto ocorrer isto poderia mudar a circulação do magma sob as placas tectônicas e produzir uma maior atividade sísmica nos próximos vinte anos."
(...)
"A Globo, a Record não tem interesse. A agenda está fechada para este tipo de assunto. Você vai na redação das revistas, dos jornais o pessoal não quer nem saber." Mario Fontes
"Eu vejo que muita gente que é da academia desconhece estas coisas."
"O que a gente vê nos livros (escolares) das crianças é que o homem destrói a camada de ozônio, que o homem está aquecendo o planeta que são hipóteses que nunca foram comprovadas. (...) pra mim isto não é educação, isto é lavagem cerebral. E o pior: os professores não tem condições de contestar isto."
(...)
"Até as (tvs) educativas, ou pretensa educativas, como a Futura, NatGeo, History Channel elas não abordam (o resfriamento global). Elas são instrumentos do pessoal de fora."
"...aos poucos estes eventos (invernos rigorosos por conta do resfriamento) vão destruir esta idéia do aquecimento global. Vocês vêem a urgência deles fazerem estas COPs (Conferência das Partes - convenções sobre alterações, biológicas, climáticas etc.), a urgência que eles tem é que o tempo está acabando (Mario Fontes faz gesto, esfrengando dedos, que significa dinheiro). Eles sabem que o clima está esfriando e que este discurso não vai chegar a lugar nenhum."

"É uma corrida, eles estão correndo para implementar tudo. Todas as leis no Brasil estão sendo mudadas com o princípio da precaução... (...) estão fazendo a toque de caixa, correndo... o que vai acontecer daqui a pouco, vai mudar e eles vão falar: 'Viu? Consertamos.' " Ricardo Felício.

Luiz Molion - PhD, Profo. do Instituto de Ciências Atmosféricas, Universidade Federal de Alagoas. Membro da Comissão de Climatologia da OMM.
Ricardo Augusto Felício - Profo. Dr. em Climatologia, Depto. Geografia USP, pesquisador da área de climatologia Antártida e Variabilidade Climática.
Mario Fontes - Engo. Agrônomo, responsável pelo blog "A grande farsa do aquecimento global.

2 comentários:

Prof. Ernani Sartori disse...

Olá,

Alguns dizem que há interesses por trás desse tal de aquecimento global. Pode até haver alguns que se aproveitam no meio de uma coisa midiática tão grande, mas enquanto o absurdo empirismo dessa gente que comanda e domina essa questão não aplicar as ciências de conhecimento universal e assim continuar cometendo erros tão absurdos e elementares da física básica, podem deixar que se trata apenas de ignorância científica mesmo e, por isso, uma “conspiração” climática mundial não se sustenta. E já deram muitas provas disso, em seus “modelos” fajutos (os quais são ajustados para darem os resultados desejados, que absurdo!!), em publicações de revistas, em “previsões”, etc. Primeiro eles têm que entender bem e resolver cientificamente a questão, como eu já a resolvi, modestamente, o que o Molion não conseguiu, antes de afirmarem que há conspiração, por uma questão de lógica e bom senso.

Quem comanda e domina essa questão no mundo é o IPCC e seus meteorologistas, climatologistas, hidrologistas, etc, os quais, para afirmar que existe aquecimento “global”, absurda e ingenuamente relacionaram um aumento de temperatura com um aumento de CO2. Mas, para constatar que há aumento do efeito estufa não basta uma simples e ingênua relação de um parâmetro com outro, pois na atmosfera há muitos outros parâmetros que precisam ser relacionados entre si para podermos realmente constatar um aumento de aquecimento atmosférico. E tais relações são baseadas na teoria física da questão, o que não se vê os profissionais acima relacionados fazerem, por isso erram tanto e tão absurdamente. E falo isso não apenas em relação às coisas que se vê na mídia, mas em relação às publicações de suas revistas internacionais, cujos artigos deveriam ser um primor de ciência, mas não são, são muitos e enormes absurdos mesmo.

Além de eles terem relacionado somente um único parâmetro com outro, eles escolheram apenas as partes da história em que há os referidos aumentos, mas há outras partes da história em que há reduções desses parâmetros que não foram considerados por eles. É nessa hora que entra o Molion, que escolheu para suas afirmações exatamente o lado contrário dos outros, ou seja, quando os referidos parâmetros decrescem, cometendo o mesmo erro, só que do lado contrário. Vale lembrar que o Molion é tambem meteorologista e, como os outros empíricos, só depende de dados experimentais, os quais têm uma variabilidade natural complexa que confunde se as análises não forem ajudadas pela verdadeira teoria científica. Trabalhei e tenho trabalhado teórica e experimentalmente com sistemas de aquecimento atmosferico e posso dizer que quase tudo que tem sido dito sobre o tal do aquecimento “global” está essencialmente errado, inclusive pelo Molion.

Por incrível que pareça, o ser humano é sim capaz de causar mudanças climáticas, mas não do jeito que dizem. Com poucas palavras, faço qualquer um entender como o ser humano pode sim interferir no clima. Enquanto isso, conheçam mais em sartori-aquecimentoglobal.blogspot.com.

Prof. Ernani Sartori disse...

- Professor, a Terra vai aquecer ou esfriar?

- A única possibilidade para a Terra esfriar de vez é o Sol esfriar de vez, ou seja, o fim do mundo. Não sendo isso, trata-se apenas das variabilidades das temperaturas, as quais dependem de uma série de fatores, incluindo os causados pelos ciclos do Sol.

O Molion disse que o planeta vai esfriar nos próximos 20 anos para contradizer o tal aquecimento, mas, não é dessa forma que se resolve a questão da influência humana no clima. Além disso, depois de 20 anos, ele dirá que o planeta vai aquecer ou esfriar até o fim do mundo? Parece que ele sabe quando e como vai ser o fim do mundo...

A ciência séria não vive de previsões, nem de adivinhações, nem de alquimia, nem de empirismo, nem de “achismos”, pois ela trata de constatar e descrever com critério e rigor o que existe e isso já é muito difícil de fazer com exatidão, quanto mais profetizar sobre o futuro ou o longínquo passado quando os eventos da natureza são tão complexos e variáveis bem como os distantes dados (na verdade, suposições!) não são confiáveis e métodos disponíveis não têm a precisão requerida para dar garantias sobre tempos longe do presente. E quem poderá vaticinar sobre mudanças drásticas do comportamento do Sol, sabendo-se que a energia emitida por ele (medida e conferida por satélites) pode ser considerada constante, pois ela varia para mais e para menos em no máximo 0,5 W/m2 (0,04%) aproximadamente a cada 11 anos em torno de uma média de 1.366 W/m2 (e ainda fora da atmosfera, pois esta - principalmente o vapor d’água - atenua essa energia na sua maior parte)?

Nisso tudo, o que interessa é o Homem ser capaz de saber se e como ele pode influenciar o clima (sobre isso já desenvolvi e esclareci muito), independentemente se com mais ou menos energia recebida, pois naquilo que o Homem não controla não adianta ficar batendo boca se é o Sol ou não é o Sol. Também fico impressionado com a facilidade e “exatidão” que os empíricos têm em “garantir” os longínquos passados e futuros quando na verdade não conseguem sequer conhecer e descrever corretamente o comportamento da atmosfera atual e real.

O Homem deve ser ciente daquilo em que pode atuar e modificar e, esfriar o planeta o ser humano não pode, a menos que fizesse uma geladeira maior do que a Terra para retirar calor do planeta (logo, esfriar) e jogar esse calor para o espaço e isso é o que postula a segunda lei da termodinâmica para o caso, a qual não pode ser desprovada. Assim, a influência humana em um esfriamento do planeta está descartada.

Portanto, só resta explicar mais sobre a capacidade humana de aquecer ou interferir no clima, mas, quanto ao chamado aquecimento global isso não é bem assim e vou deixar essa questão para outras ocasiões bem como recomendo novamente o blog http://sartori-aquecimentoglobal.blogspot.com