"-... esse sujeito de quem estou falando trabalhava como domador de cavalos (...) parecia ter sido feito por encomenda para domar os potros; mas a verdade é que ele tinha outro ofício: o de 'provocador'. Era provocador de sonhos. Isso é que ele era realmente." Pedro Páramo, Juan Rulfo.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Filhos


Vossos filhos não são vossos filhos: são os filhos e as filhas da ânsia da vida por si mesma. Vêm através de vós, mas não de vós, e embora vivam convosco, não vos pertencem.
Podeis outorgar-lhes vosso amor, mas não vossos pensamentos, porque eles têm seus próprios pensamentos.
Podeis abrigar seus corpos, mas não suas almas; Pois suas almas moram na mansão do amanhã, que vós não podeis visitar nem mesmo em sonho.
Podeis esforçar-vos por ser como eles, mas não procureis fazê-los como vós, porque a vida não anda para trás e não se demora com os dias passados.
Vós sois os arcos dos quais vossos filhos são arremessados como flechas vivas. O arqueiro mira o alvo na senda do infinito e vos estica com toda a sua força, para que suas flechas se projetem, rápidas e para longe.
Que vosso encurvamento na mão do arqueiro seja vossa alegria: pois assim como ele ama a flecha que voa, ama também o arco que permanece estável.
(Gibran Kalil Gibran)

Um comentário:

Gabriel disse...

Acho que cabe a nós uma reflexão sobre a realidade atual... Isso porque hoje em dia esquecem completamente o verdadeiro significado de ser pai/mãe, vemos pessoas gerando seres humanos e não filhos, alguns que são abandonados e outros apenas que se tornam numeros da desigualde. O problema acho que é consciencional... o ser humano precisa mais de racionalidade.

"Agradeço a Deus por ser uma flecha partida de um arco estável."

Grande Abraço Professor Fernando